24 de março de 2012

Ser só eu

          Deixo de ser eu por um tempo curto, sinto dores do mundo, deixo de ser um pouco do mundo e não me sinto eu, deixo de ser eu, sinto falta de você, sinto falta de mim, sinto falta do que poderíamos ser. Sinto deixar-me escapar, sinto que não há tempo, não há recomposição e, não há nada além de mim, não sei se ser eu basta, se ser só eu é o que me resta, o que me falta, o que me sobra ou o que me agrada.

Um comentário:

Muryanne disse...

Essa percepção sua é chamada de amadurecimento caracterizada por um meio interno (bio...), apesar de ser estimuladas por meios externos (...psico-social). Um nova percepção de ser.

Seu texto me trouxe a lembrança da frase de Shakespeare: Ser ou não ser, eis a questão.

Apesar da presença melancólica filosófica do texto, continue se questionando sempre. 1 comentário ja vai ter... rsrsrs